Início do conteúdo

Apresentação


O Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Medicina Tropical do Instituto Oswaldo Cruz (PGMT/IOC/Fiocruz) tem como objetivo formar docentes de nível superior e pesquisadores em nível de mestrado ou doutorado, qualificando-os para o desenvolvimento de pesquisas básicas e aplicadas na área das doenças infecciosas e parasitárias, proporcionando formação para a identificação e o manejo de questões associadas aos aspectos clínicos, epidemiológicos e laboratoriais.

O Programa faz parte da Área Medicina II, sendo avaliado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), no triênio 2010-2012, com conceito 6.  Desde 2007, apresenta caráter multiprofissional, admitindo profissionais com graduação na área da saúde, bem como naquelas afins às ciências biomédicas.

O curso de mestrado visa à formação técnico-científica e acadêmica inicial para o desenvolvimento de estudos descritivos, analíticos e experimentais em Medicina Tropical. O curso de doutorado visa ao desenvolvimento de competências científicas para delineamento e condução de pesquisas originais e independentes, versando sobre estudos analíticos e experimentais em doenças infecciosas e parasitárias e seus domínios conexos.
Os cursos da PGMT objetivam:

- Formar competências para realizar pesquisas e desenvolver processos, produtos e metodologias em história natural, diagnóstico, epidemiologia e controle das doenças infecciosas e parasitárias;
- Fornecer instrumental teórico-prático e conhecimentos para a pesquisa translacional em doenças infecciosas e parasitárias, integrando as tecnologias estabelecidas e as inovadoras para pesquisa na área biomédica ao reconhecimento dos determinantes históricos, socioeconômicos, demográficos, culturais e ambientais das doenças transmissíveis;
- Fomentar o raciocínio científico interdisciplinar e o espírito crítico referente à pesquisa na área biomédica nos âmbitos nacional e internacional;
- Formar recursos humanos para integrar os quadros de docentes de instituições de ensino superior;
- Formar pesquisadores para desenvolver linhas de pesquisa inovadoras e independentes;
- Integrar ciência e sociedade através da inserção de professores e discentes em estudos de base comunitária e em atividades de divulgação científica.

Os egressos do Programa estarão capacitados para atuar em pesquisas de campo e de laboratório, com estímulo ao desenvolvimento de projetos para estudo integrado da população humana, agentes etiológicos, reservatórios, vetores e meio ambiente, de um ou mais modelos de doenças infecciosas ou parasitárias. O Programa incentiva projetos de pesquisa translacional nas áreas de epidemiologia molecular, genética e filogenética de patógenos e imunogenética, integrados à epidemiologia clássica e aos estudos clínicos em doenças.

O Programa conta com a colaboração com os Laboratórios de Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação, dedicados ao estudo e à geração de produtos e insumos para diversas doenças no Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz). Nas atividades práticas e teóricas, os alunos têm oportunidade de adquirir conhecimentos e de conviver com experientes pesquisadores da área das doenças infecciosas e parasitárias. Nestes laboratórios, os alunos têm também a oportunidade de desenvolver seus trabalhos de dissertação e tese, integrando-se às linhas de pesquisas já existentes ou até mesmo, em alguns casos, no doutorado, participar na criação de novas linhas.

Os Laboratórios do IOC estão agrupados em áreas de pesquisa e conhecimento humano. A rede de Laboratórios do IOC congrega 21 Serviços de Referência de abrangência nacional e regional, que prestam consultoria e assessoramento nas suas respectivas áreas de atuação, bem como promovem a formação de recursos humanos para a Rede Oficial de Laboratórios de Saúde Pública e instituições públicas. Os Serviços de Referência credenciados como centros colaboradores da Organização Mundial da Saúde e Organização Pan-Americana da Saúde participam ativamente de diferentes programas internacionais nas suas áreas de abrangência, incluindo, por exemplo, leptospirose, classificação de leishmânias, sarampo, viroses respiratórias e poliomielite, além de taxonomia de vetores da doença de Chagas. O Programa conta, ainda, com um conjunto de Plataformas Tecnológicas disponível aos estudantes de mestrado e doutorado.
 

*Atualizado em 04/04/2014.

Confira a galeria de imagens do Programa, com fotos cedidas pelos docentes e discentes

Voltar ao topoVoltar